Emprestado pelo Botafogo, artilheiro da Série C revela frustração e espera voltar

Destaque do Ypiranga-RS, André Luis fala do bom momento no clube gaúcho e lamenta poucas oportunidades em General Severiano. Atacante tem contrato com o Alvinegro até o fim do ano

Se atacantes vivem de gols, André Luis está de bem com a vida. Artilheiro do Campeonato Brasileiro da Série C, com cinco, ele vem sendo o destaque do Ypiranga-RS e principal jogador da equipe na temporada.
Aos 22 anos, André comemora a melhor fase da ainda curta carreira e, ao mesmo tempo, a sequência de jogos com a camisa do Ypiranga, coisa que não teve quando subiu aos profissionais do Botafogo, clube que detém seus direitos econômicos até o fim do ano.

– Fiquei frustrado por não ter oportunidades, pois eu precisava de sequência para evoluir e crescer como jogador. As oportunidades que eu venho tendo agora são exatamente as que eu precisava para mostrar todo o meu potencial e tudo que aprendi nesses anos nas duas grandes bases que fiz que foram Grêmio e a do próprio Botafogo.
O atacante começou sua carreira no Grêmio, onde atuou nas categorias sub 18 e sub 20, até ser promovido ao profissional. Em 2014 foi contratado pelo Botafogo para atuar nos juniores, mas subiu logo depois a pedido do técnico Rene Simões.
Pouco aproveitado na Série B do Brasileiro, acabou emprestado. Passou por Boavista (RJ) e Rio Verde (Goiás), antes de chegar a Erechim. Pelo Campeonato Goiano desse ano, atuou em oito partidas e marcou cinco gols.
– Com certeza estou vivendo o melhor momento da minha carreira, pois, além de estar fazendo gols, venho com boas partidas e ajudando minha equipe na Série C. Estou muito feliz e confiante de que tenho total capacidade para retornar à elite do futebol brasileiro.
Confira outros tópicos da entrevistas:
CONTRATO COM O BOTAFOGO ATÉ O FIM DO ANO
– Penso e quero muito voltar e espero que isso possa influenciar sim. Meu foco é o Ypiranga, mas acompanho bastante o futebol brasileiro e mundial. O Botafogo é um grande clube e tenho um carinho imenso com esta instituição que me ajudou a crescer como profissional. Gostaria muito de retornar e poder contribuir assim como estou fazendo aqui.
VOCÊ TEVE POUCAS CHANCES COM RENE SIMÕES. QUAL MOTIVO?
– Acredito que foi pelo momento. O clube sofria uma pressão gigantesca e precisava com urgência subir. Nestas circunstâncias a instabilidade é complicada até para os mais velhos, imagina para os mais novos. Mas entendo que isso faz parte, pois o atleta precisa estar preparado para todas as circunstâncias do futebol.
PARCERIA COM FERNANDES
– Mantenho contato ainda sim. Tenho grandes amigos lá. Eu e o Fernandes fizemos uma inter temporada juntos no início do ano e é um cara por quem eu tenho uma admiração enorme e que sempre que possível mantenho o contato.

Fonte:Globoesporte.com

Compartilhe em suas redes

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*